Physical Therapy - Ostheopaty - Global Postural Reeducation

Physical Therapy, Ostheopaty, Global Postural Reeducation

setembro 09, 2010

Pequenos gestos de saúde por todo o amor que temos à vida

Para começar gostaria de desejar um bom regresso ao trabalho ou à escola a todos. Foi um Verão excelente! As águas estiveram magníficas.

Depois desculpo-me por não ter escrito um pequeno post ontem, em homenagem à profissão que tanto adoro, a minha. Dia 8 de Setembro é o dia mundial da Fisioterapia. Parabéns a todos os fisioterapeutas que, com o seu amor à camisola, trabalham para dignificar esta profissão.

E agora sim, vamos ao tema que me trouxe hoje de volta à escrita. Este blog é um acto de liberdade e não algo que me imponho fazer, por isso só escrevo quando tenho realmente algo a dizer. Às vezes demora até que apareça uma ideia com valor suficiente para ser partilhada.
Este é um tema sobre o qual já falei "n" vezes e que continua a perturbar-me. O que leva o ser humano a permanecer tão longe dos cuidados de saúde e só recorrer a um médico quando algo não está bem? O que nos faz desprezar a prevenção, os exames de rotina? Preguiça? Medo?
Se nos levantamos todos os dias e vamos trabalhar porque gostamos da nossa profissão e precisamos do dinheiro para continuar a viver, se lavamos os dentes para não ter caries, se lavamos as mãos antes de comer, se temos tanto medo da morte, da dor, de não podermos celebrar o amanhã com todos os que amamos, porque?
Por desconhecimento não acredito. Somos diariamente bombardeados com informação.
Quando foi a última vez que fez um check-up? Quando foi a última vez que foi ao ginecologista?
A ciência e a medicina são mesmo um milagre quando detectamos os problemas cedo, porque continuamos a enterrar a cabeça na areia?
Emocionamo-nos com os filmes, pois emocionemo-nos com a nossa vida. Quero ver cada pessoa que ler este blog fazer um "pequeno gesto de saúde". Marque uma consulta para si, fale com alguém próximo sobre este assunto, questione-se porque não? É tão simples prolongar a nossa vida.
Depois partilhem comigo.
Sim, é a puxar ao coração, pouco cientifico mesmo, mas o que será necessário para nos libertar da inércia?